Ainda que muitas empresas brasileiras façam negócios com a China, ainda há dúvidas sobre como importar da China com o máximo de segurança, evitando prejuízos e dores de cabeça. O país se tornou a segunda maior economia do mundo e vem adotando alto padrão de atuação no Comex; entretanto, a má conduta de alguns players de mercado, e a barreira da língua, e da forma cultural diferente de negociar são questões que ainda preocupam empresários brasileiros. Se este é o seu caso, saiba como negociar com fornecedores chineses, checar sua idoneidade e obter as melhores condições nas operações de importação.

Você pretende incrementar e aprimorar seu negócio importando da China? É notável o desenvolvimento do país no que diz respeito ao Comércio Exterior. Inclusive, a China é hoje o principal parceiro comercial do Brasil; e importar da China oferece grandes vantagens, até mesmo redução de custos. Apesar disso, a distância geográfica, cultural e o idioma do país podem representar grandes barreiras para o empresário brasileiro. A principal questão das empresas é, com certeza, “como importar da China com segurança?”.

Para aprender como importar da China, ou até mesmo refinar operações já existentes com fornecedores chineses, é preciso conhecer aspectos característicos do país que impactam não apenas nas negociações, mas em todos os aspectos da operação de importação.

Informe-se a seguir sobre a evolução da economia chinesa, bem como da qualidade de seus produtos e características em sua forma de negociação. Veja o que é necessário para importar da China com segurança.

1. Como importar da China: Conheça as características do mercado chinês

A China possui a segunda maior economia do mundo, sendo que, até o início da década de 90, ocupava o 10º lugar. O manual Como Exportar: China, elaborado pelo Ministério das Relações Exteriores e outros órgãos, aponta:

“Os debates sobre a crescente influência da China são hoje incontornáveis, seja na imprensa ou nos conselhos empresariais, onde o país é percebido como fonte de competição, de oportunidades e de encantamento. A globalização atual é indissociável do fenômeno China, cujo desenvolvimento econômico atrai cada vez mais a atenção do mundo”.

(…) Ainda mais impressionante do que as mudanças que já se passaram é o futuro que se vislumbra para os próximos anos. Não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” a China se tornará a maior economia do mundo em termos nominais. Projeções recentes estimam que isso ocorra por volta de 2025-2030”.

O desenvolvimento da China continuará beneficiando o Brasil através do Comércio Exterior, e os empresários devem aproveitar esse potencial. Reconhecer o desenvolvimento da China é um dos primeiros passos a se tomar para superar o receio e usufruir dos benefícios de importar do país. Além disso, você deve buscar o máximo de informações sobre suas características. Além da cultura local, absorver conhecimento sobre sua estrutura política, econômica, demográfica e social faz total diferença antes de dar início à prospecção de fornecedores e negociação. 

O manual do MRE citado, apesar de ser um manual de exportação, é uma fonte oficial que apresenta informações ricas sobre todos esses aspectos apontados acima. Sua leitura é fortemente recomendada, bem como uma pesquisa mais aprofundada em outras fontes.

2. Como importar da China: Esteja bem preparado para realizar negociações

Veja como funcionam as negociações na Ásia e na Orla do Pacífico, de acordo com  o manual Exportação: Passo a passo:

  • propostas iniciais vs. acordo final: exigências de moderadas a altas;
  • apresentação de questões: podem ser agrupadas;
  • apresentações: bastante formais;
  • tratamento de divergências: cortês; silêncio, quando corretos;
  • concessões: lentas.

No Manual do MRE sobre exportações para a China há mais informações sobre negociações com empresas chinesas. Segundo a fonte,  “à medida que a China se torna uma economia mais avançada, suas empresas têm buscado adotar padrões internacionais, não apenas na qualidade dos seus produtos e serviços como também na própria forma de condução dos negócios”. 

Uma das características que vale a pena destacar sobre as especificidades de negociar com a China é que os empresários chineses têm alta disposição para estender negociações, o que é uma característica cultural oposta à do Brasil. Empresários e executivos brasileiros fazem negócios com rapidez, agilidade e sob forte pressão de datas limite. Já os chineses as prolongam, tanto como uma tática de negociação, para obter vantagens, como para ter tempo hábil para discutir termos internamente. Sendo assim, ao planejar uma viagem de negócios à China, é essencial levar em consideração que os detalhes de uma reunião podem ser revisitados repetidamente em reuniões seguintes. “Muita paciência e excelente administração de tempo são recomendáveis”. 

Além disso, realizar jantares informais para discutir negócios é totalmente comum da China: “É respeitoso aceitar convites para jantares e outras atividades fora do escritório”, aponta o manual. Esses encontros são parte integral da negociação e servem para que os chineses avaliem o nível de sinceridade do importador. 

Também “é usual na cultura chinesa ser extremamente generoso com os hóspedes, oferecendo presentes e jantares. Aceitar é educado, mas esses gestos não devem interferir nas condições comerciais discutidas nas salas de reuniões”. É preciso ser rigoroso e saber equilibrar o lisonjeamento com a generosidade chinesa no momento das negociações. A intenção dos representantes chineses é, de fato, obter vantagens na negociação. 

Por essas diferenças culturais e linguísticas, é de suma importância, ter ao seu lado uma empresa profissional com experiência e seja especialista em negociações com empresas chinesas.

3. Como importar da China: Verifique a idoneidade de fornecedores chineses

A busca por fornecedores na China implica na prospecção de empresas e também a verificação de sua idoneidade, capacidade de entrega e qualidade de seus produtos. No caso de empresas chinesas, o distanciamento geográfico e diferenças culturais são fatores que contribuem para que essa checagem seja feita com maior rigor, para garantir mais segurança e confiança nas relações comerciais.

O mercado de Comércio Exterior já oferece algumas soluções para checar fornecedores chineses. É de costume solicitar à empresa chinesa documentos que respaldem as informações declaradas. Entretanto, vale destacar que solicitar essa comprovação de regularização diretamente ao fornecedor também apresenta riscos. Esses riscos existem porque, infelizmente, existe a possibilidade de a documentação ser forjada pela empresa. 

Assim como apontado no artigo sobre como verificar uma empresa chinesa disponível no site oficial da nossa ferramenta de checagem, o X-ray Supplier, alguns dos possíveis riscos são:

  • realizar um compra internacional de uma empresa com baixa capacidade de entrega;
  • fazer compra de tradings que compram de outras fábricas e oneram o processo;
  • comprar produtos de baixa qualidade;
  • fazer negociações desvantajosas com o fornecedor.

O Grupo Serpa é experiente na prospecção e checagem de fornecedores e, por isso, busca oferecer meio mais seguros de verificação de idoneidade. Por meio da Serpa China, fazemos a análise de idoneidade de fornecedores chineses, garantindo maior segurança para importadores com um diferencial: as informações são extraídas diretamente do governo do país. 

Esse método torna o processo mais confiável, porque o fornecedor não participa, não interfere no processo e não é nem mesmo necessário que ele esteja ciente de que está sendo avaliado. É o governo Chinês que afirma se a empresa está negativada e inadimplente, por exemplo, ou se ela tem um histórico e status positivo.

4. Como importar da China: Conte com uma empresa especialista em negociações para executar a operação

Para ter mais confiança e segurança nas operações de importação com a China, é recomendado que importadores brasileiros contem com a assessoria de uma empresa parceira na China, que ofereça serviços completos e dê suporte em todas as etapas. A Serpa China oferece soluções completas que, além da prospecção, negociação com fornecedores e acompanhamento das operações de importação, englobam também:

  • Resolução de problemas: oferece suporte para resolver problemas existentes em operações já existentes com fornecedores chineses e ajuda a evitar processos jurídicos e maiores desgastes.
  • Análise de viabilidade: faz uma análise de viabilidade de importação para novas operações levantando benefícios, restrições e custos de importação e ajuda na definição do cenário mais vantajoso para realizar as operações.
  • Equipe regional: realiza negociação, colocação do pedido, coordenação de pedido e produção e garante proximidade e segurança durante todo o relacionamento com os fornecedores chineses.

 

O Grupo Serpa é um grupo de empresas especializadas em projetos de exportação e importação. Oferecemos soluções customizadas para negócios entre Brasil e China e possuímos escritórios em Shangai e Ningbo. Oferecemos uma gama de soluções que dão suporte de qualidade aos importadores brasileiros em processos administrativos, fiscais, cambiais e de logística internacional integrada, que são necessários para realizar operações de Comex. No Grupo Serpa, sua empresa encontra tudo que é necessário para importar da China com o máximo de segurança. 

Saiba mais sobre os nossos serviços de negócios com a China.